Nós e as desigualdades

segunda-feira, 15, abril , 2019 por

Pesquisa de opinião da Oxfam Brasil e Instituto Data Folha revela percepção da população brasileira sobre desigualdades sociais: 8 em cada 10 brasileiros acreditam que não é possível progresso sem redução de desigualdades.

Leia na íntegra.

Esta publicação reúne a síntese de quatro Diálogos Nacionais Tripartites, realizados no Brasil em 2016 e 2017, no marco da iniciativa sobre o Futuro do Trabalho, preparatório à comemoração do centenário da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2019. O objetivo é compartilhar as contribuições de representantes tripartites no Brasil e de especialistas e estudiosos sobre o tema do futuro do trabalho, no intuito de estimular essa discussão no Brasil e apontar suas perspectivas para a Comissão Mundial sobre o Futuro do Trabalho da OIT.

Leia na íntegra.






Texto para Discussão do Ipea apresenta uma tipologia de referência para investigação de territórios impactados por políticas públicas no período recente de 2003 a 2015, a partir de um mapeamento prévio de análises e fatos estilizados representativos das mais relevantes transformações pelas vias dos gastos públicos e dos investimentos públicos e privados nos territórios distintos.

Leia na íntegra.






Texto para Discussão do Ipea apresenta estimativas para as probabilidades de automação das ocupações no Brasil. Os resultados podem ajudar a nortear políticas públicas na área de emprego, a carreira de trabalhadores e os cursos prioritários que as instituições de ensino deveriam oferecer visando maximizar as oportunidades de emprego no país. Os resultados apontam que mais da metade dos trabalhadores brasileiros devem perder seus empregos para máquinas nos próximos 30 anos.

Leia na íntegra.






Gestão da Informação em Saúde

quarta-feira, 10, abril , 2019 por

Este relatório tem por objetivos discutir a relevância da gestão da informação, objeto do projeto “Indexação da produção em saúde do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) à base de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs)”, e descrever as atividades realizadas e os resultados imediatos alcançados por meio deste projeto.

Leia na íntegra.






Em Espanhol, “Envejecimiento, personas mayores y Agenda 2030 para el Desarrollo Sostenible: perspectiva regional y de derechos humanos”, aborda a megatendência mundial de transição demográfica e seus efeitos sobre a implementação dos ODS

Leia na íntegra.






Em Texto para Discussão do Ipea, Samuel Alves Soares e autores apresentam um levantamento bibliográfico acerca de métodos e técnicas de prospectiva, com o propósito de atualizar o debate e colocar em evidência as abordagens mais contemporâneas da área.

Leia na íntegra.






Disponível em Inglês, o relatório “Panorama Global de Substâncias Químicas II: De legados a soluções inovadoras – Implementando a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável” foi preparado pela ONU Meio Ambiente ao longo dos últimos três anos por meio de um processo envolvendo mais de 400 cientistas e especialistas de todo o mundo. O relatório completo será lançado em 1º de abril de 2019 na terceira reunião do Grupo de Trabalho Aberto para a Abordagem Estratégica da Gestão de Químicos, no Uruguai.

Leia na íntegra.






Editorias

Texto para Discussão do Ipea, de autoria de Luciana Jaccoud e Fabiola Sulpino Vieira, analisa a mudança ocorrida em 2017 sobre a forma como são feitos os repasses federais no SUS. O estudo sublinha que os resultados da descentralização podem ser negativos para a eficiência na gestão e a equidade no acesso aos serviços de saúde. Enfatiza, ainda, a relevância dos arranjos e mecanismos de coordenação para a melhoria do resultado da política de saúde e da efetividade na gestão dos sistemas.

Leia na íntegra.






Trabalhar temas transversais é um desafio para qualquer organização. Mesmo que tradicionalmente exista uma tendência à organização do trabalho a partir de objetivos específicos e funções circunscritas a departamentos, há um conjunto de temas e atividades que devem perpassar todas as áreas da instituição, seja por sua natureza ampla, seja porque são estratégicos para o alcance de objetivos comuns. Os temas transversais da OPAS/OMS ampliam esse desafio, pois tratam de aspectos essenciais para o seu mandato, como a promoção dos direitos humanos, da equidade em saúde e da inclusão da perspectiva de gênero e de etnicidade e raça no conjunto de suas ações, tendo como propósito a promoção da justiça social, a redução de iniquidades e o combate a todas as formas de discriminação. Para enfrentar esse desafio, a OPAS/OMS estabeleceu uma área programática específica no seu Plano Estratégico 2014-2019. A implementação dessa área programática e de seus respectivos objetivos e indicadores pressupõe a definição de ações práticas e de compromisso de diversas pessoas na Organização.

Leia na íntegra.






Página 1 de 5
TOP