A Organização Mundial da Saúde (OMS) sinalizou os quatro principais desafios para resposta global ao HIV com a comunidade internacional, que se reuniu entre os dias 18 a 22 de julho em Durban, África do Sul, para a Conferência Internacional sobre Aids. A organização destaca a necessidade de renovar a atenção para a prevenção do HIV, bem como manter a dinâmica na ampliação do acesso ao tratamento.

Carta de Conjuntura analisa economia mundial

segunda-feira, 18, julho , 2016 por

Desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), trabalho analisa a evolução, nos últimos meses, das principais economias mundiais, como Estados Unidos, China, União Europeia e Reino Unido, e aponta as tendências para os próximos meses. A seção já está disponível no Blog de Conjuntura: http://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/ .






Em artigo publicado no portal da CEPAL, Alicia Bárcena, Secretária Executiva da entidade, e Carlos de Miguel, Chefe da Unidade de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável da Divisão de Desenvolvimento Sustentável e Assentamentos Humanos, aprofundam o debate sobre o tema no contexto das Americas.






A América Latina e o Caribe têm hoje uma oportunidade histórica para mudar seu estilo de desenvolvimento e reduzir os desequilíbrios econômicos, sociais e ambientais que impactam seus habitantes. Para isso é necessário uma mudança estrutural progressiva com um grande impulso ambiental que promovam um desenvolvimento baseado na igualdade e na sustentabilidade. Esta é a proposta da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) para o ano 2030.






A destituição de uma Constituição

terça-feira, 28, junho , 2016 por

Enquanto na Europa discutem-se políticas de aumento de salário mínimo e nos Estados Unidos o presidente Barak Obama ensaia uma ampliação do acesso aos serviços de saúde, no Brasil, apesar de todas as suas desigualdades, colocam-se propostas de privatização e fragmentação do SUS. A crítica do economista Luiz Gonzaga Belluzzo, professor das Faculdades de Campinas (Facamp), está nesta entrevista exclusiva que concedeu à pesquisa Região e Redes.






Os brasileiros estão, cada vez mais, apostando em tratamentos à base de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos: entre 2013 e 2015 a busca por esses produtos no Sistema Único de Saúde (SUS) mais que dobrou, crescendo 161%. Há três anos, cerca de 6 mil pessoas procuraram alguma farmácia de atenção básica para receber os insumos; no ano passado essa procura passou para quase 16 mil pessoas. A iniciativa, criada pelo Ministério da Saúde para garantir o acesso seguro e uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos no país, já está presente em cerca de 3.250 unidades de 930 municípios brasileiros.






Novo relatório do Banco Mundial reconhece avanços e discute os entraves ao desenvolvimento após o fim do auge das matérias-primas. A variação nos preços das matérias-primas – soja e minério de ferro, por exemplo – permite entender dois momentos importantes e recentes da economia brasileira. O primeiro deles é o período entre 2003 e 2013, quando a alta global gerou crescimento econômico, aumentou o nível de emprego e os salários e ajudou o governo a impulsionar programas como o Bolsa Família. Ao mesmo tempo, acabou por mascarar problemas estruturais da economia nacional e permitiu uma expansão nos gastos públicos.






A Organização Mundial da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde e parceiros estabeleceram o plano de resposta estratégica ao zika, que terá como foco a prevenção e gestão de complicações médicas causadas pela infecção pelo vírus. Até o momento, US$ 121,9 milhões são necessários para efetivamente implementar o plano de resposta estratégico ao zika, de julho de 2016 a dezembro de 2017.






Em artigo publicado no portal Determinantes Sociais da Saúde, um grupo de especialistas integrantes do Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz, falam da importância de ações coletivas para criar novos conhecimentos, compartilhar saberes e implementar ideias através do trabalho com outros setores e diversas partes interessadas em políticas de saúde global para acelerar a conquista dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentáveis (ODSs).






Em 14 de junho, é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. A campanha de 2016 busca agradecer quem doa e destacar a solidariedade e conexão entre doador e paciente. Pesquisa mostra que na América Latina e no Caribe, pouco mais de 45% dos cerca de 9,2 milhões de unidades de sangue coletadas para transfusões em 2014 vieram de doadores voluntários, enquanto os restantes 55% são originários de doadores de reposição, normalmente pessoas que doam sangue em caráter de emergência quando um familiar ou amigo necessita.






Página 6 de 8
TOP