O segundo dia (18/9) do seminário Brasil Saúde Amanhã: horizontes para os próximos 20 anos, que teve início na no último dia 17 de setembro, contou com dois paineis de debate: Desenvolvimento, Políticas Sociais e Saúde, que ocorreu na parte da manhã, e Cenários Epidemiológicos, Territórios e Força de Trabalho em Saúde, à tarde.

Discutir os possíveis cenários para o setor Saúde a médio e longo prazo no país é o desafio do seminário Brasil Saúde Amanhã: horizontes para os próximos 20 anos, realizado entre os dias 17 e 18 de setembro, no campus da Fundação Oswaldo Cruz em Manguinhos, no Rio de Janeiro. O reuniu os pesquisadores que compõem o grupo multidisciplinar de pesquisa da rede Brasil Saúde Amanhã, resultado da parceria da Fiocruz com a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE), o Ministério da Saúde e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).






Qual o futuro do sistema de saúde brasileiro? Esta é a pergunta norteadora da rede Brasil Saúde Amanhã, grupo de pesquisa que investiga e propõe caminhos no horizonte dos próximos 20 anos. Em setembro, os pesquisadores envolvidos no projeto estarão reunidos no campus da Fiocruz para apresentar os resultados mais recentes do estudo e discutir como políticas públicas implementadas no presente podem impactar positivamente a Saúde em médio e longo prazo. O seminário Brasil Saúde Amanhã: horizontes para os próximos 20 anos será realizado dias 17 e 18, com transmissão on-line em tempo real.






“Inovações para reduzir as iniquidades em saúde: a experiência da Índia com o setor privado” foi o tema da conferência realizada pelo pesquisador e professor da Universidade de Nova Délhi, Venkat Raman, na última sexta-feira, 14 de novembro, Fiocruz. Primeiro evento aberto ao público do recém-criado Centro de Estudos Estratégicos (CEE/Fiocruz), a conferência integrou uma oficina de trabalho sobre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).






No dia 13 de novembro, o projeto Brasil Saúde Amanhã deu mais um passo em direção à orientação de políticas públicas na área de saúde, com a realização da oficina de trabalho Desafios Metodológicos nas Estimativas da Força de Trabalho de Médicos Especialistas em Cenários de Longo Prazo. O encontro reuniu pesquisadores da rede de conhecimento que compõe o projeto. Saiba como foi a oficina.






A partir de novembro passamos a divulgar nesta seção resumos de artigos que integram o livro “A Saúde no Brasil em 2030 – Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro”. O segundo artigo do segundo volume do livro, de autoria de Salomão, Cardoso Jr. e Santos (2013), aponta que é “crucial voltar a discutir o tema da natureza, alcances e limites do Estado, planejamento e das políticas públicas no capitalismo brasileiro contemporâneo”. Eles discutem o papel do Estado no desenvolvimento.






A partir de novembro de 2014, publicaremos resumos de artigos que integram a coleção “A Saúde no Brasil em 2030 – Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro”. No texto do primeiro volume abertura do volume, “Cenários Macroeconômicos no Horizonte 2022/2030”, Teixeira e Vianna (2013) apresentam a atual situação macroeconômica do Brasil e, com base na prospecção, trabalham as suas possibilidades de cenários futuros em um horizonte de 20 anos.






No desenho de horizontes futuros apresentados pela coleção “A Saúde no Brasil em 2030”, o segundo volume da série, População e Perfil Sanitário, analisa os determinantes sociais, econômicos e ambientais da Saúde, abordando o cenário sociodemográfico em 2022 e 2030, assim como a distribuição territorial da população, traçando um diagnóstico do comportamento atual dos fenômenos demográficos no país.






Página 6 de 6
TOP