Políticas para o futuro

por / segunda-feira, 04 setembro 2017 / Categoria Notícias, Saúde e Ambiente, Todos

O Programa Cisternas, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), conquistou, nessa terça-feira (22), o segundo lugar no Prêmio Internacional de Política para o Futuro 2017, da organização alemã World Future Council, em parceria com a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação.

A Etiópia ganhou a premiação como melhor política do mundo. O programa brasileiro e a China conquistaram o prêmio prata. Já Austrália e Jordânia, o bronze. No total, 27 iniciativas de 18 países – selecionadas por um grupo de organizações internacionais e especialistas em políticas públicas – concorreram na 10ª edição do prêmio. A cerimônia de entrega será promovida em setembro, em Ordos, na China.

Para o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, as cisternas são um instrumento importante para o estímulo ao desenvolvimento e garantia de dignidade às pessoas que vivem nas regiões mais secas do País.

“Este prêmio internacional reconhece a importância do programa para as famílias que vivem em áreas com poucas chuvas. As cisternas são fundamentais para a sobrevivência dessas pessoas, para impulsionar a pequena produção e para diminuir a pobreza. Assim, o agricultor fica no campo e consegue melhorar a qualidade de vida de sua família”, ressaltou.

O Programa Cisternas promove o acesso da população mais pobre à água de qualidade para o consumo humano e para a produção de alimentos. As cisternas são soluções simples para captar e armazenar a água da chuva durante os períodos de seca.

Ao todo, o governo federal já entregou mais de 1 milhão de tecnologias sociais de acesso à água, sendo 877 mil cisternas de placas para o consumo humano, 143 mil para a produção de alimentos e 4 mil cisternas escolares. O programa é executado pelo MDS em parceria com governos estaduais, municipais, consórcios públicos municipais e organizações da sociedade civil.

 

 

Fonte: Portal Brasil

Editorias
TOP