Acesso aberto: livros da iniciativa Brasil Saúde Amanhã estão disponíveis na plataforma SciELO Livros


Três livros da iniciativa Brasil Saúde Amanhã que abordam tendências futuras para o país e o sistema de saúde estão agora disponíveis em acesso aberto na plataforma SciELO Livros. Inicialmente lançados pela Editora Fiocruz, os volumes Brasil Saúde Amanhã: complexo econômico-industrial da saúde, Brasil Saúde Amanhã: dimensões para o planejamento da atenção à saúde e Brasil Saúde Amanhã: população, economia e gestão juntam-se ao acervo on-line do projeto.

“Estamos comprometidos com a democratização do conhecimento desde o início de nossas atividades, em 2010. O primeiro livro publicado –  “A Saúde no Brasil em 2030: Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro” – e os mais de 60 Textos para Discussão produzidos neesses 11 anos estão disponíveis em acesso aberto em www.saudeamanha.fiocruz.br. Da mesma forma, os livros “Vacinas e vacinação no Brasil: horizontes para os próximos 20 anos” e “Desafios do acesso a medicamentos no Brasil” estão na plataforma Porto Livre, coordenada pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), que reúne livros em acesso aberto”, afirma o coordenador executivo da iniciativa Brasil Saúde Amanhã, José Carvalho de Noronha, que é pesquisador Icict/Fiocruz.

Horizontes para o futuro

Organizada por José Carvalho de Noronha, Carlos Gadelha, Paulo Gadelha e Telma Ruth Pereira, a obra Brasil Saúde Amanhã: complexo econômico-industrial da saúde é uma análise, em seis capítulos, acerca da articulação entre avanço tecnológico, desenvolvimento produtivo e promoção da saúde. “O livro é resultado dos esforços da Fiocruz em antever os cenários futuros do sistema de saúde brasileiro. As análises definem o setor Saúde como oportunidade para o desenvolvimento social, econômico e industrial do país”, resume Carlos Gadelha, coordenador do Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz.

O livro Brasil Saúde Amanhã: dimensões para o planejamento da atenção à saúde, por sua vez, tem por objetivo apoiar a prospecção estratégica do sistema de saúde em âmbito nacional. “Em síntese, oferecemos nesta publicação um conjunto diversificado de informações, todas de suma relevância para o planejamento nacional em saúde. Esperamos contribuir para o debate sobre mudanças, tendências e desafios para as políticas de saúde nas próximas décadas e para a proposição de alternativas que busquem o fortalecimento do sistema público de saúde no Brasil”, resume Paulo Gadelha, coordenador da Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030.

Elaborado com a contribuição de 11 pesquisadores e organizado por Paulo Gadelha, Sulamis Dain, Telma Ruth Pereira e José Noronha, o título Brasil Saúde Amanhã: população, economia e gestão apresenta projeções do perfil epidemiológico da população brasileira e tendências da organização e gestão dos serviços de saúde. “Tomando a realidade atual como ponto de partida e a materialização das aspirações como ponto de chegada, é possível projetar futuros favoráveis ao desenvolvimento econômico e social – para os quais é necessário um patamar mais elevado de gasto público em saúde”, conclui Noronha.

Brasil Saúde Amanhã

Parte da Estratégia Fiocruz para Agenda 2030, a iniciativa Brasil Saúde Amanhã constitui uma rede multidisciplinar de pesquisa que investiga e propõe caminhos para o país e o setor Saúde no horizonte dos próximos 20 anos. Desde 2010, produz conhecimento científico publicado em acesso aberto a fim de contribuir com a atuação nacional e institucional em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). “Como instituição estratégica de Estado para a Saúde, a Fiocruz assume o compromisso de protagonizar a superação dos desafios que hoje se impõem ao sistema de saúde do país, buscando soluções efetivas para os problemas atuais e antecipando questões futuras. Investir na prospecção estratégica de cenários futuros é, portanto, ação preponderante para que a Fiocruz possa cumprir a sua missão de contribuir para a formulação de políticas e programas que promovam a ampliação da qualidade e do acesso às redes de saúde”, aposta o sanitarista Paulo Gadelha, coordenador da Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030.


TOP