Em Espanhol, “Envejecimiento, personas mayores y Agenda 2030 para el Desarrollo Sostenible: perspectiva regional y de derechos humanos”, aborda a megatendência mundial de transição demográfica e seus efeitos sobre a implementação dos ODS

Leia na íntegra.

AGENDA 2030 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

segunda-feira, 25, fevereiro , 2019 por

Observatório de Clima e Saúde entrevista o secretário executivo da Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030, Guilherme Franco Netto.

Editorias

Agenda 2030: ninguém para trás 

segunda-feira, 26, fevereiro , 2018 por

A presidenta do Chile, Michelle Bachelet, presidirá uma comissão de alto nível, convocada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), para propor soluções que ampliem o acesso e a cobertura de saúde na região das Américas para 2030, “sem deixar ninguém para trás”.

A sustentabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS), a necessidade de investimento contínuo em Ciência, Tecnologia e Inovação e a importância do monitoramento do desempenho do setor Saúde foram os elementos centrais do painel “Perspectivas e desafios da Agenda 2030”, o quarto do seminário “Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pela rede Brasil Saúde Amanhã na Fiocruz. O evento, que aconteceu em setembro, reuniu pesquisadores em torno de quatro painéis temáticos que abordaram o atual contexto econômico e as tendências futuras para o financiamento setorial e o desenvolvimento sustentável, o acesso à água e ao saneamento, o direito à cidade e as políticas de proteção social no contexto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Até 2030, o planeta Terra enfrentará um déficit de 40% no abastecimento de água. A previsão da Organização das Nações Unidas (ONU) alerta para a dimensão dos desafios a serem enfrentados pelos 193 países signatários da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que propõe como uma de suas metas o acesso universal e equitativo a água potável e segura para todos. O Brasil não escapa desta realidade e, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), só universalizará o acesso à água potável em 2043 – o que coloca o país bem longe do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 6 (ODS 6): “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos”. O tema esteve em debate durante o seminário “Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pela rede Brasil Saúde Amanhã, em setembro, na Fiocruz.

Página 2 de 29
TOP