Entrevistas - Saúde Amanhã - Page 9

Os desafios da economia para a Saúde

segunda-feira, 09, fevereiro , 2015 por

“A Saúde precisará fazer mais, com menos”. Esta é a conclusão do economista Salvador Werneck Vianna, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e colaborador do projeto Brasil Saúde Amanhã. Nesta entrevista, ele faz um retrospecto sobre a economia brasileira desde a Constituição Federal de 1988, que cria o SUS, e discute as variáveis macroeconômicas que podem impactar o futuro do sistema de saúde brasileiro.

Cenários futuros para a Saúde e o país

segunda-feira, 02, fevereiro , 2015 por

Para o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos, estudos como os desenvolvidos pelo projeto Brasil Saúde Amanhã podem ser grandes aliados na avaliação da eficácia de políticas públicas. O professor é autor do artigo inédito “Brasil Amanhã, Cenários Políticos”, que integrará o novo livro fruto do projeto, com publicação prevista para o segundo semestre de 2015. Nesta entrevista, ele expõe técnicas de prospecção estratégica e aponta características que o Brasil deve vir a ter no campo da política em 2030.

A viabilidade de uma carreira para o SUS

segunda-feira, 26, janeiro , 2015 por

A dificuldade de integração dos três entes federativos e a limitada capacidade de autonomia política e financeira dos municípios de pequeno porte são alguns dos principais desafios a serem enfrentados pelo SUS hoje. A avaliação é do médico e deputado federal Chico D’Angelo (PT-RJ). Nesta entrevista, o ex-secretário de saúde de Niterói aponta a necessidade de criação de uma carreira para o SUS e destaca a importância do Programa Mais Médicos.

A Saúde e o território

segunda-feira, 19, janeiro , 2015 por

Entender o SUS como espaço geográfico, conjunto indissociável de materialidades e ações que ao integrar o território brasileiro tem se realizado como um macrossistema, a um só tempo técnico e político. Essa é a proposta do pesquisador Luis Ribeiro, mais novo integrante da rede de conhecimento do projeto Brasil Saúde Amanhã. O geógrafo expõe nesta entrevista como a Geografia e a Saúde se relacionam e como esta interação pode subsidiar políticas públicas necessárias para um sistema de saúde mais resolutivo e eficaz no horizonte de 2030.

Estudos de futuro e políticas públicas

segunda-feira, 12, janeiro , 2015 por

Antever as tendências de futuro para ter mais clareza sobre as políticas do presente. Para Antonio Ivo de Carvalho, diretor do recém-criado Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz, esta é a principal contribuição do projeto Brasil Saúde Amanhã. Ele explica como a abordagem prospectiva do sistema de saúde pode trazer, em médio e longo prazo, soluções para desafios persistentes, como a distribuição de médicos pelo território nacional.

Valorizar os espaços de negociação regional e criar novos mecanismos de financiamento que privilegiem as regiões do país são algumas ações apontadas pela pesquisadora da Ensp/Fiocruz, Luciana Dias, para que se possa avançar na organização e coordenação do sistema público de saúde no Brasil. Nesta entrevista, a pesquisadora destaca que o planejamento para aprimorar o SUS deve também incluir mudanças nas estruturas dos órgãos gestores.

O desafio da força de trabalho em saúde

segunda-feira, 15, dezembro , 2014 por

Demanda por profissionais de saúde, redefinição de protocolos de assistência e maior integração entre Saúde e Educação. Esses são alguns dos aspectos analisados nesta entrevista pelo secretário executivo da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (Una-SUS), o pesquisador Francisco Campos. Especialista em força de trabalho em Saúde e recursos humanos, Campos participou, em novembro, da oficina “Desafios Metodológicos nas Estimativas da Força de Trabalho de Médicos Especialistas em Cenários de Longo Prazo”, e concedeu essa entrevista. Confira.

SUS, recursos humanos e mercado de trabalho

segunda-feira, 08, dezembro , 2014 por

As tendências para a formação de recursos humanos para o SUS e a adequação do mercado de trabalho em Saúde às necessidades da população brasileira no horizonte de 2030 são alguns dos aspectos analisados pelos pesquisadores do projeto Brasil Saúde Amanhã. Dedica-se ao tema o pesquisador Mario Roberto Dal Poz, entrevistado desta semana. Para ele, os cenários futuros apontam a clara necessidade de maior interlocução entre as instituições de formação profissional e o mercado de trabalho e as áreas da Saúde e da Educação.

Pensamento estratégico para o SUS

quarta-feira, 03, dezembro , 2014 por

Fortalecer o controle social, ampliar o acesso à Atenção Básica e às especialidades médicas. Para a presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), a pesquisadora Ana Costa, que também é membro do Conselho Nacional de Saúde, esses são alguns dos maiores desafios que o Sistema Único de Saúde (SUS) enfrentará nas próximas décadas. Confira a entrevista completa.

Como as transformações da população brasileira irão impactar, em 20 anos, as demandas de saúde do país? Como o sistema de saúde pode se preparar para esses novos desafios? Para o professor de Epidemiologia da Universidade de Brasília, Walter Ramalho – que integra o grupo de pesquisadores do projeto Brasil Saúde Amanhã na área População e Saúde – , a palavra-chave para esta equação é informação. Nesta entrevista ele discute o papel dos sistemas de informação para a saúde pública e aponta possíveis rumos para o futuro brasileiro.

Página 9 de 9
TOP