Esta semana divulgamos mais um resumo de artigo do livro “A Saúde no Brasil em 2030 – Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro”. Neste texto, que integra o volume “Desenvolvimento, Estado e Políticas Públicas” e aborda a gestão pública, Carneiro e Menicucci (2013) explicam que “sob essa rubrica se colocam diferentes enfoques e preocupações, desde uma perspectiva mais ampla de entender o formato da relação Estado-sociedade e os mecanismos de definição dos objetivos do governo, até preocupações mais instrumentais”.

Nos últimos anos novas doenças do homem branco começam a se fazer presentes dentro das terras indígenas. São problemas causados pela adoção de um estilo de vida mais urbano, semelhante ao das grandes cidades. O antropólogo Laércio Dias, da Unesp de Marília, estuda como essas alterações afetam a saúde de grupos que vivem na região do rio Uaçá, no norte do Amapá, e já constatou um índice maior de obesidade, hipertensão, diabetes e abuso de álcool entre eles. Confira a reportagem.






Inovação e dependência: desafios para o SUS

segunda-feira, 08, dezembro , 2014 por

Nesta artigo, os autores apontam que o SUS tem sido alvo de muitas críticas com relação às suas atuais insuficiências e distorções e recentes pesquisas de opinião vêm constatando que, na percepção da sociedade brasileira, a saúde aparece como prioridade primeira a ser enfrentada em caráter emergencial. Segundo eles, um aspecto nem sempre valorizado nessas análises é a impor-tância decisiva para o SUS das tecnologias preventivas e terapêuticas de alto impacto e baixo custo, como vacinas, kits para diagnóstico e monitoramento e biofármacos.






Editorias

Lei Antifumo entra em vigor no Brasil

segunda-feira, 08, dezembro , 2014 por

Entrou em vigor no dia 3 de dezembro a Lei Antifumo que proíbe, entre outras coisas, fumar em locais fechados, públicos e privados, de todo o país. Para especialistas, a medida é um avanço no combate ao hábito de fumar. Pouco mais de 11% da população brasileira são fumantes e dados do Instituto Nacional do Câncer mostram que cerca de 90% dos casos de câncer de pulmão, o mais comum de todos os tumores malignos, estão relacionados ao tabagismo. A instituição estima que em 2012 foram diagnosticados mais de 27 mil novos casos da doença






Diferentes sistemas de saúde e diferentes maneiras de integração entre os setores público e privado, mas uma intenção comum de lutar pela qualidade da prestação de serviços, seja ela pública ou privada. Esta é a realidade dos países da América do Sul que participaram da Oficina “Fortalecer o Estado, regular o Mercado: os desafios dos sistemas nacionais de saúde da UNASUL”, promovida pelo ISAGS. Saiba mais sobre as discussões da oficina.






Das 7,3 bilhões de pessoas que vivem hoje no planeta, 1,8 bilhão tem entre 10 e 24 anos de idade e 600 milhões são meninas. Nunca antes houve tantos jovens no mundo e é improvável que o potencial de progresso econômico e social nas mãos deste grupo volte a se repetir. É o que mostra o The State of The World Population 2014, relatório anual produzido pelo Fundo de População das Nações Unidas. Leia a matéria e acesse o estudo completo.






Seguindo a série que começamos a publicar em novembro, trazemos esta semana mais um resumo de artigo que integra o livro “A Saúde no Brasil em 2030″. No texto, intitulado “A saúde na política nacional de desenvolvimento: um novo olhar sobre os desafios da saúde”, Gadelha e Costa (2013) identificam e avaliam a conexão entre a saúde e o desenvolvimento levando em conta que a saúde impacta tanto o crescimento econômico quanto as condições de vida da população. Confi-ra.






O Brasil passará a produzir medicamentos de última geração para o tratamento de doenças reumáticas e tuberculose. A transferência de tecnologia será feita por meio de Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP), política do governo federal voltada à produção de tecnologias inovadoras e estratégicas para a rede pública de saúde, e prevê investimentos de mais de R$ 213 milhões no primeiro ano.






Editorias

No Brasil, existem mais de 2,3 mil comunidades quilombolas reconhecidas pelo governo federal, localizadas em 24 estados, segundo dados da Fundação Cultural Palmares. De acordo com dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), atualmente, existem 1.386 processos de regularização dos territórios quilombolas no órgão. As comunidades quilombolas brasileiras contam com uma série de iniciativas do governo federal para valorização da cultura local, produção regional e desenvolvimento sustentável.






A obesidade custa ao Brasil 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo um estudo internacional conduzido pelo McKinsey Global Institute, que mostra o aumento dos gastos no combate ao problema no mundo. O custo equivaleria a R$ 110 bilhões, considerando o PIB – a soma de todas as riquezas produzidas em um país – brasileiro em 2013 (R$ 4,8 trilhões). Confira a reportagem e o estudo completo.






Página 58 de 68
TOP