População e Saúde - Saúde Amanhã - Page 14

O Brasil conseguiu nova redução na taxa de mortalidade infantil na passagem de 2012 para 2013, segundo os dados das Tábuas Completas de Mortalidade do Brasil de 2013, divulgadas pelo IBGE. A taxa de mortalidade infantil, até 1 ano de idade, ficou em 15 para cada mil nascidos vivos em 2013. Em 2012, essa proporção era de 15,7 óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos. Confira a reportagem e a pesquisa completa.

Os passos estão sendo dados, mas é preciso estratégia. Essa é a opinião de pesquisadores e movimentos sociais sobre os cinco anos da Política Nacio-nal de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN), que mesmo em que pese os avanços alcançados, exigem engajamento em todas as esferas da Federação para a aplicação real da transversalidade da política, visando o direito à saúde como um todo, seja para negros, negras, pardas, brancos, jovens, idosos e crianças.

Cerca de 40% da população adulta brasileira, o equivalente a 57,4 milhões de pessoas, possui pelo menos uma doença crônica não transmissível (DCNT), segundo dados inéditos da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O levantamento, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, revela que essas enfermidades atingem principalmente o sexo feminino (44,5%) – são 34,4 milhões de mulheres e 23 milhões de homens (33,4%) portadores de enfermidades crônicas. Leia a reportagem e acesse a publicação completa.

Das 7,3 bilhões de pessoas que vivem hoje no planeta, 1,8 bilhão tem entre 10 e 24 anos de idade e 600 milhões são meninas. Nunca antes houve tantos jovens no mundo e é improvável que o potencial de progresso econômico e social nas mãos deste grupo volte a se repetir. É o que mostra o The State of The World Population 2014, relatório anual produzido pelo Fundo de População das Nações Unidas. Leia a matéria e acesse o estudo completo.

No Brasil, existem mais de 2,3 mil comunidades quilombolas reconhecidas pelo governo federal, localizadas em 24 estados, segundo dados da Fundação Cultural Palmares. De acordo com dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), atualmente, existem 1.386 processos de regularização dos territórios quilombolas no órgão. As comunidades quilombolas brasileiras contam com uma série de iniciativas do governo federal para valorização da cultura local, produção regional e desenvolvimento sustentável.

Os sistemas de saúde terão que fazer frente ao desafio que representa o envelhecimento da população, em particular nos países mais pobres, adverte a Organização Mundial da Saúde (OMS), em uma série de estudos publicados na respeitada revista médica The Lancet. Em 2020, pela primeira vez na História, o número de pessoas com 60 anos ou mais no mundo superará o de crianças com menos de cinco anos. Uma em cada sete pessoas será idosa. Em 2050, a população acima dos 60 anos será de dois bilhões de pessoas.

Cada vez mais brasileiras estão esperando chegar até os 30 anos ou mais para ter o primeiro filho, principalmente as que possuem mais anos de estudo. A conclusão é do estudo “Saúde Brasil”, que aponta tendências em áreas como taxa de natalidade e fecundidade, mortalidade, surtos, epidemias e doenças. Segundo a pesquisa, o percentual de mães na faixa etária de 30 anos cresceu na última década, passando de 22,5% em 2000 para 30,2% em 2012.

O suicídio de índios no Brasil chega a ser seis vezes maior do que a taxa nacional e preocupa especialistas. Dados do Mapa da Violência, do Ministério da Saúde, mostram que, enquanto o índice geral no Brasil é de 5,3 suicídios por 100 mil habitantes, a incidência sobe para acima de 30 em alguns municípios com população indígena. Na região Norte, os suicídios passaram de 390 em 2002 para 693 em 2012: aumento de 77,7%.

Para a coordenadora da ONG Criola, Jurema Werneck, o que diferencia o perfil dos agravos à saúde da população negra é a incidência precoce, o agravamento precoce e a desassistência. “Temos taxas de morte precoces de doenças cardiovasculares, que poderiam ter sido tratadas, poderiam ser resolvidas com o que o sistema já tem. E não são”, exemplifica nesta entrevista concedia à Radis. “O racismo é internalizado também nos mecanismos de condução de cada política

Há menos de 500 dias para o fim do prazo para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), melhorar a saúde materna é o grande desafio do Brasil e do mundo. De 1990 a 2011, o país reduziu em 55% a taxa de óbitos das gestantes. Isso reflete um avanço maior do que as médias da América Latina e do mundo, cujas reduções foram de apenas 45%.

Página 14 de 16
TOP