Futuro do sistema de saúde integra debates sobre um Estado social para o Brasil

por / quinta-feira, 30 julho 2020 / Categoria Notícias, Prospecção Estratégica, Todos

Novo livro da Fundação Perseu Abramo tem capítulo dedicado ao sistema de saúde brasileiro, de autoria de pesquisadores da iniciativa Brasil Saúde Amanhã

“O sistema de saúde brasileiro: rumo à universalidade ou à segmentação?”. Com esta questão norteadora, os pesquisadores José Carvalho de Noronha e Leonardo Castro, da rede Brasil Saúde Amanhã, trazem reflexões sobre o futuro da Saúde no Brasil, em um capítulo do livro “Brasil: Estado social contra a barbárie”, recém-lançado pela Fundação Perseu Abramo. A obra busca identificar os limites, possibilidades e desafios de um Estado social para o Brasil no século 21 e, para tanto, reúne artigos de professores, pesquisadores e técnicos de diferentes áreas de atuação e participantes da formulação, implementação e gestão de políticas públicas no país.

Situado na parte do livro que trata de temas referentes a políticas sociais e segurança pública, o capítulo dedicado à Saúde traça um panorama histórico da Saúde Pública brasileira e avalia os rumos do sistema de saúde do país. As reflexões estão organizadas em quatro tópicos: “O pacto constitucional de 1988 e desdobramentos”, “À sombra dos planos privados de saúde”, “A saúde na encruzilhada” e “Teremos um SUS universal?”. 

O texto contextualiza a Constituição Federal de 1988 como o grande marco contemporâneo da reorganização do sistema de saúde brasileiro, que incluiu a saúde como parte necessária da segurança social e como direito de cidadania. Passados 32 anos desde a sua promulgação, os pesquisadores problematizam as mudanças significativas do perfil demográfico e epidemiológico do Brasil e evidenciam a concentração da cobertura dos planos de saúde nas classes de maior renda e de empregadores.

Nas palavras dos autores, “o objetivo expresso da construção de um sistema de saúde universal e ‘único’ claramente não foi atingido e permanece distante”. Ao final do capítulo, são apresentados alguns fatores determinantes para esse desfecho e indicados elementos para a reversão desse quadro, no sentido de recolocar o Brasil na rota da esperança e do desenvolvimento, para reafirmar os compromissos de luta pela democracia e pela saúde.

Sobre os autores

José Carvalho de Noronha é doutor em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), pesquisador do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Icict/Fiocruz) e coordenador executivo da rede Brasil Saúde Amanhã, iniciativa pioneira no país para a prospecção estratégica do futuro do sistema de saúde brasileiro.

Leonardo Castro é doutor em Antropologia pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), analista da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz) e colaborador da rede Brasil Saúde Amanhã.

Leia o capítulo “O sistema de saúde brasileiro: rumo à universalidade ou à segmentação?”
(link para pdf separado, disponível como Leitura Sugerida no portal)

Baixe o livro “Brasil: Estado social contra a barbárie”
https://fpabramo.org.br/publicacoes/estante/brasil-estado-social-contra-a-barbarie/

TOP