PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA

quinta-feira, 20, fevereiro , 2020 por

Na última década, as taxas de assassinatos de jovens no Brasil cresceram 17%. Quase metade do total de homicídios do país em 2018 (56 mil) corresponde à morte de homens negros, com idade entre 15 e 29 anos. Os dados foram compilados no estudo “Prevenção da violência juvenil no Brasil: uma análise do que funciona”, produzido pelo Instituto Igarapé com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

REVOLUÇÃO 4.0

quinta-feira, 20, fevereiro , 2020 por

A Revolução 4.0, impulsionada pela inteligência artificial, indica que estamos diante de um “novo ciclo tecnológico que está apenas começando”, cujos impactos ainda não podem ser previstos, diz o sociólogo Glauco Arbix, diretor da área de Ciências Humanas do Centro de Inteligência Artificial da Universidade de São Paulo – USP. “Ninguém tem clareza exatamente de que proporções esse ciclo vai tomar, quais as configurações que vai assumir”. Por enquanto, menciona, “o que estamos vendo é que a inteligência artificial está se configurando como uma tecnologia de propósito geral, aquela sem a qual as outras [tecnologias] têm dificuldade de viver”.

Crise econômica e austeridade

quinta-feira, 13, fevereiro , 2020 por

Um estudo inédito conduzido por pesquisadores do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia) detectou um aumento nas taxas de suicídio e homicídio após o Brasil ter sido afetado pela crise econômica e adotado medidas de austeridade, em 2014.

Entrevista com Cecília Minayo

quinta-feira, 13, fevereiro , 2020 por

Graduada em Sociologia, com mestrado em Antropologia Social (UFRJ) e doutorado em Saúde Pública (Fiocruz), Cecília Minayo é pesquisadora emérita da Fundação Oswaldo Cruz e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), e coordena, desde 1998, o grupo de pesquisa “Violência em Saúde”. A primeira entrevistada de 2020 do Observatório de Análise Política em Saúde (OAPS) já recebeu prêmios como a “Medalha de Mérito da Saúde Oswaldo Cruz” (Ministério da Saúde – 2009) e o Prêmio de Direitos Humanos (Presidência da República – 2014). Na entrevista, a professora aborda os estudos acerca dos efeitos da violência sobre a saúde da população, a Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violência (PNRMAV) e a incorporação da violência na agenda da saúde, políticas de armamento e as relações entre desigualdade e violência: “A desigualdade, a meu ver, é o maior calcanhar de Aquiles da sociedade brasileira. Seu acirramento pode sim impactar o quadro de violência no país por diminuir as oportunidades das pessoas progredirem, por restringir o acesso aos bens materiais, culturais e simbólicos, por isso, estreitar as possibilidades de desenvolvimento das crianças e jovens, as maiores vítimas da violência interpessoal, comunitária e armada”.

O Brasil deve registrar cerca de 625 mil novos casos de câncer por ano de 2020 a 2022. A estimativa foi divulgada hoje (4) pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca). Somente entre a população infantojuvenil são esperados 8.460 novos casos por ano no mesmo período.

Quatro ameaças para o futuro global

sexta-feira, 24, janeiro , 2020 por

O novo ano começa com quatro ameaças iminentes ao progresso humano no mundo: tensões geopolíticas crescentes, crise climática, desconfiança global e impactos negativos da tecnologia, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta quarta-feira (22). Em um amplo discurso na Assembleia Geral, o chefe da ONU delineou estratégias para abordar tais ameaças e instou os países a aproveitar o 75º aniversário da ONU para garantir um futuro pacífico para todas as pessoas. “É por isso que comemorar o 75º aniversário com bons discursos não serve. Precisamos enfrentar esses quatro desafios do século 21 com quatro soluções do século 21”, declarou Guterres.

Aos 77 anos, faleceu em 19 de dezembro a antropóloga Alba Zaluar, fundadora do Núcelo de Pesquisa em Violências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (NUPEVI/UERJ). Aposentada desde 2012, atuava ainda como pesquisadora visitante do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP/UERJ), coordenando pesquisas sobre violências em diversos contextos. Como legado, a pesquisadora deixa dezenas de artigos, livros e capítulos sobre segurança pública, violência urbana, violência doméstica, tráfico de drogas, dentre outros temas, além de estudantes formados em centros de pesquisas como o Instituto de Medicina Social (IMS/UERJ) e a Universidade de Campinas (Unicamp).

PNUD: Relatório de Desenvolvimento Humano

quarta-feira, 11, dezembro , 2019 por

Com altos indícies de desigualdade, Brasil cai uma posição na lista de países classificados no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

Leia na íntegra.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmou nesta terça-feira (10) que o uso racional de medicamentos é essencial para o alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A declaração foi dada nesta terça-feira (10) pelo coordenador de Medicamentos e Tecnologias em Saúde do escritório da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Tomás Pipo, durante o VII Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos, em Brasília.

Editorias

Em 1997, nuvens de fumaça pairavam sobre as florestas tropicais da Indonésia após a queimada de uma área com tamanho aproximado ao do estado americano da Pensilvânia para expansão agrícola, queimada essa que ainda foi agravada pela seca na época. Sufocadas pela névoa, as árvores não davam frutos, forçando a população de morcegos frugívoros a voarem para outros locais em busca de alimento, levando consigo uma doença mortal.

Editorias
Página 4 de 91
TOP