Representantes dos países das Américas participaram, em 1º de dezembro, do encerramento da “Reunião Regional de pólio: próximos passos para certificação e contenção”, em Brasília. O evento, organizado pela Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), teve por objetivo atualizar os comitês nacionais de certificação dos países das Américas sobre seus papeis e responsabilidades na fase final de erradicação da pólio.

Novas metas para Saúde Indígena

segunda-feira, 28, novembro , 2016 por

O Ministério da Saúde lançou, em Manaus, uma série de ações para reduzir em 20% mortes de bebês e crianças indígenas com até cinco anos de idade. A meta deve ser atingida em 2019. Objetivo é fortalecer e ampliar a assistência impactando nos óbitos evitáveis, causados, por exemplo, por doenças respiratórias, parasitárias e nutricionais. Isso porque, ao contrário do que acontece no restante do país, metade das mortes de bebês indígenas acontece após o primeiro mês de vida. A agenda conta com cinco metas principais.






A alarmante escalada de cesáreas que o Brasil vem enfrentando, especialmente na rede privada de saúde, pode ser contida e, mais que isso, revertida. As medidas implementadas pelo grupo de hospitais que participam do Projeto Parto Adequado aumentaram significativamente a taxa de partos vaginais e promoveram melhorias importantes em indicadores de saúde das gestantes e recém-nascidos assistidos. Devido ao sucesso alcançado, a iniciativa será agora expandida para mais 150 hospitais. A iniciativa mostrou-se segura, pois não houve aumento de complicações decorrentes do parto. Em três instituições houve redução desse tipo de complicação.






OMS divulga novas recomendações para grávidas

segunda-feira, 14, novembro , 2016 por

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu uma nova série de recomendações para melhorar a qualidade da atenção pré-natal, com o objetivo de reduzir o risco de natimortos e complicações na gravidez, além de proporcionar às mulheres uma experiência positiva da gestação. Estima-se que, em 2015, 303 mil mulheres morreram por causas relacionadas à gravidez; 2,7 milhões de bebês morreram durante os 28 primeiros dias de vida; e 2,6 milhões de bebês eram natimortos.






Mais de 1 milhão de pessoas em países de baixa e média renda têm acesso a um revolucionário tratamento contra a hepatite C desde sua introdução, há dois anos. Quando os antivirais de ação direta (DAA) foram aprovados para o tratamento da hepatite C em 2013, havia um temor generalizado de que seu alto preço os colocaria fora do alcance de mais de 80 milhões de pessoas com infecção por hepatite C crônica em todo o mundo. Esses novos medicamentos apresentam uma taxa de cura de mais de 95% e menos efeitos colaterais que as terapias disponíveis anteriormente. O tratamento pode curar completamente a doença dentro de três meses. No entanto, o preço inicial estimado em 85 mil dólares tornaria o medicamento inacessível mesmo em países de alta renda.






Novos dados publicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no “Relatório Global sobre Tuberculose 2016” mostram que os países precisam se mover mais rapidamente para prevenir, detectar e tratar a doença com o objetivo de cumprir as metas globais para 2030. Governos concordaram sobre as metas para acabar com a epidemia de tuberculose tanto na Assembleia Mundial da Saúde quanto na Assembleia Geral das Nações Unidas, no contexto dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – incluindo uma redução de 90% nas mortes por tuberculose e uma diminuição de 80% nos casos da doença até 2030, em comparação com 2015.






O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou, dia 14 de outubro, o livro “Relações entre as alterações históricas na dinâmica demográfica brasileira, políticas públicas e impactos futuros decorrentes do processo de envelhecimento da população”, do demógrafo Celso Simões. A publicação analisa as transformações históricas ocorridas no padrão demográfico do país, com redução na taxa de crescimento populacional, diminuição do número de crianças e adolescentes e aumento da população em idade ativa e do total de idosos. O texto trata de temas relacionados às especificidades da transição demográfica no Brasil, comparando-as com as concepções e trajetórias de países mais desenvolvidos, onde esse processo teve início há mais tempo. O livro está disponível online.






Envelhecimento saudável e ativo

segunda-feira, 10, outubro , 2016 por

O número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos vai mais que dobrar no mundo em 2050, passando dos atuais 900 milhões para cerca de 2 bilhões. Por isso, a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) acredita ser importante que os idosos de hoje e os do futuro possam envelhecer de maneira saudável e ativa. Ou seja, que a idade avançada não impeça as pessoas de ser e fazer o que querem ou valorizam. O tema foi discutido na sede da representação da Opas no Brasil, dia 03 de outubro, para marcar o Dia Internacional do Idoso, 1º, em um evento feito em conjunto com o Ministério da Saúde brasileiro.






O Brasil passa a contar com o novo antirretroviral Dolutegravir, considerado como o melhor tratamento contra o HIV/Aids no mundo. Cerca de 100 mil pacientes portadores do vírus receberão o tratamento a partir de 2017. Com a oferta, recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ministério da Saúde reafirma a posição de liderança no combate à epidemia de HIV/aids e o compromisso de oferecer um tratamento inovador. A disponibilidade do tratamento na rede pública de saúde é mais um resultado do compromisso assumido pelo Ministério da Saúde de otimizar os recursos, transformando-os em benefício para a população.






Setembro Amarelo

segunda-feira, 12, setembro , 2016 por

Campanha mundial pela prevenção do suicídio busca superar tabu que ainda envolve o tema. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo ocorrem, anualmente, 804 mil mortes causadas por suicídio, representando 11,4 mortes por cada 100 mil habitantes. Os principais métodos utilizados são o envenenamento, o enforcamento e o uso de armas de fogo, gerando uma morte a cada 40 segundos. O Brasil é o oitavo país na lista da OMS, com 31.507 casos de suicídio registrados entre 2012 e 2014. De 2009 a 2014 foram notificados um total de 73.790 casos de lesões autoprovocadas, compreendidas como tentativa de suicídio.






Página 3 de 12
TOP