Diante da inexistência de tratamento ou vacina com eficácia comprovada para a Covid-19, especialistas das áreas da saúde e da economia defendem a manutenção do isolamento social para preservar a vida dos brasileiros, advertindo que seria “uma catástrofe” abandonar esta estratégia. Este foi um dos pontos levantados durante o debate Desafios para o Brasil diante da Pandemia Covid-19, realizado no ambiente virtual do Portal da Inovação. Os debatedores apontaram a necessidade do aporte de recursos públicos para enfrentar a pandemia e os efeitos econômicos e sociais da crise que o país atravessa.

REVOLUÇÃO 4.0

quinta-feira, 20, fevereiro , 2020 por

A Revolução 4.0, impulsionada pela inteligência artificial, indica que estamos diante de um “novo ciclo tecnológico que está apenas começando”, cujos impactos ainda não podem ser previstos, diz o sociólogo Glauco Arbix, diretor da área de Ciências Humanas do Centro de Inteligência Artificial da Universidade de São Paulo – USP. “Ninguém tem clareza exatamente de que proporções esse ciclo vai tomar, quais as configurações que vai assumir”. Por enquanto, menciona, “o que estamos vendo é que a inteligência artificial está se configurando como uma tecnologia de propósito geral, aquela sem a qual as outras [tecnologias] têm dificuldade de viver”.

REVOLUÇÃO 4.0

quinta-feira, 20, fevereiro , 2020 por

A Revolução 4.0, impulsionada pela inteligência artificial, indica que estamos diante de um “novo ciclo tecnológico que está apenas começando”, cujos impactos ainda não podem ser previstos, diz o sociólogo Glauco Arbix, diretor da área de Ciências Humanas do Centro de Inteligência Artificial da Universidade de São Paulo – USP. “Ninguém tem clareza exatamente de que proporções esse ciclo vai tomar, quais as configurações que vai assumir”. Por enquanto, menciona, “o que estamos vendo é que a inteligência artificial está se configurando como uma tecnologia de propósito geral, aquela sem a qual as outras [tecnologias] têm dificuldade de viver”.

Entrevista com Cecília Minayo

quinta-feira, 13, fevereiro , 2020 por

Graduada em Sociologia, com mestrado em Antropologia Social (UFRJ) e doutorado em Saúde Pública (Fiocruz), Cecília Minayo é pesquisadora emérita da Fundação Oswaldo Cruz e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), e coordena, desde 1998, o grupo de pesquisa “Violência em Saúde”. A primeira entrevistada de 2020 do Observatório de Análise Política em Saúde (OAPS) já recebeu prêmios como a “Medalha de Mérito da Saúde Oswaldo Cruz” (Ministério da Saúde – 2009) e o Prêmio de Direitos Humanos (Presidência da República – 2014). Na entrevista, a professora aborda os estudos acerca dos efeitos da violência sobre a saúde da população, a Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violência (PNRMAV) e a incorporação da violência na agenda da saúde, políticas de armamento e as relações entre desigualdade e violência: “A desigualdade, a meu ver, é o maior calcanhar de Aquiles da sociedade brasileira. Seu acirramento pode sim impactar o quadro de violência no país por diminuir as oportunidades das pessoas progredirem, por restringir o acesso aos bens materiais, culturais e simbólicos, por isso, estreitar as possibilidades de desenvolvimento das crianças e jovens, as maiores vítimas da violência interpessoal, comunitária e armada”.

O Brasil deve registrar cerca de 625 mil novos casos de câncer por ano de 2020 a 2022. A estimativa foi divulgada hoje (4) pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca). Somente entre a população infantojuvenil são esperados 8.460 novos casos por ano no mesmo período.

Opas cria plano por bem-estar nas Américas

quinta-feira, 17, outubro , 2019 por

Temas estratégicos para a saúde nas Américas foram tratados na 57º Reunião do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e 71ª Sessão do Comitê Regional da OMS para as Américas, realizadas na primeira semana de outubro de 2019, em Washington, na sede da organização. Os eventos contaram com a presença maciça dos 35 Estados-membros, representados pelos ministros ou vice-ministros da Saúde.

Número de idosos com incapacidade deve triplicar

quinta-feira, 10, outubro , 2019 por

O número de pessoas com 60 anos ou mais que necessitam de cuidados prolongados mais que triplicará nas Américas nas próximas três décadas, passando dos 8 milhões atuais para 27 a 30 milhões até 2050. No Dia Internacional das Pessoas Idosas, celebrado na terça-feira (1), especialistas em envelhecimento da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pedem aos países que fortaleçam seus sistemas de saúde para poder responder a essa mudança.

Fiocruz firma acordo de cooperação com a ONU

quinta-feira, 22, agosto , 2019 por

Intensificar a cooperação internacional por meio da promoção da saúde para crianças e jovens, assim como da saúde materna, dos direitos reprodutivos e do combate à violência de gênero. Essas foram as prioridades identificadas para a parceria firmada entre Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). As instituições assinaram um acordo em julho, na sede do UNFPA em Nova Iorque, paralelamente ao Fórum Político de Alto Nível para o Desenvolvimento Sustentável.

Importância das vacinas e recusa vacinal

segunda-feira, 24, junho , 2019 por

Estudo transversal identifica a percepção da importância das vacinas e o conhecimento sobre o calendário vacinal entre médicos e estudantes de Medicina.

Leia na íntegra.

O tema da iniciativa deste ano “Vacinação: uma responsabilidade compartilhada” destaca a importância de que todos façam sua parte para apoiar a imunização, uma das intervenções de saúde pública mais importantes e efetivas.

Página 1 de 14
TOP