População e Saúde

O Brasil vivencia, hoje, um processo de transição demográfica que impacta diretamente o seu perfil epidemiológico. Com o envelhecimento da população, crescem os índices de doenças crônicas não transmissíveis, como os problemas cardiovasculares e respiratórios, o diabetes e os diversos tipos de câncer. Ao mesmo tempo, persistem nos país as doenças transmissíveis, emergentes, reemergentes e, ainda, as doenças negligenciadas – enfermidades que tradicionalmente afetam a população brasileira. A expectativa para os próximos anos é a convivência entre essas duas realidades, com todas as repercussões que isso pode trazer para o sistema de saúde.

A definição do futuro da saúde pública brasileira depende, essencialmente, de como o Sistema Único de Saúde (SUS) estará preparado para atender às novas demandas e questões persistentes da população. Demandas e questões que, para além do desafio de consolidar uma rede de atenção à saúde resolutiva e de qualidade pressupõem políticas públicas que impactem positivamente os aspectos sociais que determinam a ocorrência de doenças e as condições de vida e saúde da população.


TOP