Desenvolvimento e Saúde

Desenvolvimento não é o mesmo que crescimento econômico. Para um país ou uma sociedade ser considerado desenvolvido é preciso que a sua população acesse os frutos desse crescimento. E uma das formas de mensurar esse desenvolvimento é o acesso dos cidadãos aos serviços de saúde – o que é definido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) pelo princípio da equidade.

O desenvolvimento brasileiro, por sua vez, está atrelado a sete eixos principais, identificados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): inserção internacional, macroeconomia, infraestrutura, estrutura produtiva, sustentabilidade, proteção social e fortalecimento do Estado. Por meio desses eixos, se dá e dará o desenvolvimento do Brasil, com o compromisso de promover a equidade em saúde e a consolidação de um sistema de saúde gratuito, universal e de qualidade.

A Constituição Federal de 1988 ampliou o direito à saúde, antes restrito ao trabalhador que contribuía com o sistema previdenciário, tornando-o um direito universal e um dever do Estado. Com a Reforma Sanitária e a criação do SUS, a saúde pública brasileira passou a operar a partir de um conceito mais amplo sobre o que é saúde, superando a simples ausência de doenças. Para ser saudável, então, a população precisa ter acesso: à alimentação saudável, à prática de exercícios, à educação, ao trabalho, ao lazer, aos serviços de saúde. Nesse contexto, superar as fortes desigualdades sociais do país passa a ser uma ação imperativa para a promoção da saúde de toda a população.




TOP