Seguindo a série que começamos a publicar em novembro, trazemos esta semana mais um resumo de artigo que integra o livro “A Saúde no Brasil em 2030″. No texto, intitulado “A saúde na política nacional de desenvolvimento: um novo olhar sobre os desafios da saúde”, Gadelha e Costa (2013) identificam e avaliam a conexão entre a saúde e o desenvolvimento levando em conta que a saúde impacta tanto o crescimento econômico quanto as condições de vida da população. Confi-ra.

“Inovações para reduzir as iniquidades em saúde: a experiência da Índia com o setor privado” foi o tema da conferência realizada pelo pesquisador e professor da Universidade de Nova Délhi, Ven-kat Raman, na última sexta-feira, 14 de novembro, Fiocruz. Primeiro evento aberto ao público do recém-criado Centro de Estudos Estratégicos (CEE/Fiocruz), a conferência integrou uma oficina de trabalho sobre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).






Neste artigo, o doutor em saúde coletiva e consultor da Unasul Carlos Octávio Ocké-Reis aponta que para viabilizar um projeto de capitalismo de Estado, que promova crescimento com desconcentração de renda, riqueza e poder, é necessário se debruçar sobre questões relacionadas à soberania, ao desenvolvimento, à inovação tecnológica, ao modelo de proteção social e à sustentabilidade ambiental.






Qual desenvolvimento teremos a partir de 2015?

segunda-feira, 20, outubro , 2014 por

A reportagem analisa a agenda pós 2015 e aponta que, se por um lado os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável foram importantes para elevar e legitimar internacionalmente a importância do combate à pobreza, em um período marcado pelo evidente fracasso do decálogo de recomendações e condicionalidades do Consenso de Washington, por outro são inúmeras as críticas relacionadas ao seu processo de construção e resultados.






O seminário “Estado, Desenvolvimento e Inovação” acontece dia 25/11 e pretende debater o papel do Estado e das empresas no processo de desenvolvimento via inovações. Um dos temas será a importância das parcerias público-privadas nos processos de desenvolvimento via inovação. Serão analisadas políticas públicas deste tipo de vários países. Também haverá discussão sobre os fundamentos econômicos que justificam este tipo de política de Estado, no contexto das novas realidades do desenvolvimento mundial.






Realizado em setembro, o seminário “Capacidades estatais para o desenvolvimento em países emergentes: o Brasil em perspectiva comparada”, debateu estratégias para o país a partir das análises de uma pesquisa feita pelo Ipea e pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento (INCT-PPED) e da agenda de políticas públicas do Plano Plurianual 2016-2019.






Ciência e desenvolvimento sustentável na saúde

segunda-feira, 22, setembro , 2014 por

O papel da ciência na promoção da saúde e do desenvolvimento sustentável foi tema de evento científico promovido pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz) no último dia 9 de setembro. O “Seminário Internacional Saúde e Sustentabilidade” teve como objetivo consolidar um plano de ação para a Rede Ibero-Americana de Territórios Sustentáveis, Desenvolvimento e Saúde (RIA TSDS), da qual a Fiocruz faz parte e contou com a participação de pesquisadores nacionais e internacionais.






Economia da Saúde em debate, setembro 2014

terça-feira, 16, setembro , 2014 por

Serão realizados na próxima semana, de 24 a 26 de setembro, o XI Encontro Nacional de Economia da Saúde e o VI Congresso de Economia da Saúde da América Latina e do Caribe. Os eventos acontecem simultaneamente, em São Paulo, com o objetivo de difundir o conhecimento científico e tecnológico do campo da Economia da Saúde da América Latina e Caribe. Serão discutidas estratégias sobre como avançar no binômio Saúde / Desenvolvimento, tendo em vista as desigualdades decorrentes da ocupação territorial dos países.






Cobertura Universal de Saúde no Brasil

segunda-feira, 25, agosto , 2014 por

A Organização Pan Americana de Saúde no Brasil finalizou a consulta pública sobre o documento da Estratégia para Cobertura Universal de Saúde (CE154/12). O resultado foi sistematizado em um Relatório Técnico que incorporou as contribuições do país, com o propósito de garantir que a estratégia contemple as necessidades do Brasil e esteja em total consonância com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).






O Ministério da Saúde assinou, no início do mês de agosto, memorando de cooperação na área de saúde com o governo do Japão. O objetivo é fortalecer as relações com o país asiático, um dos mais tradicionais parceiros do Brasil no continente, trazendo resultados positivos para ambos os países. O acordo abrange as áreas de regulação farmacêutica e compartilhamento de conhecimentos e experiência em sistemas públicos de saúde.






Página 11 de 12
TOP