Desafios e avanços na produção de vacinas

sexta-feira, 25, outubro , 2019 por

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, destacou os avanços e desafios da produção de vacinas durante a abertura da 20ª reunião geral da Rede de Produtores de Vacinas dos Países em Desenvolvimento (DCVMN), nesta terça-feira (22), no município do Rio de Janeiro. “Eu vejo esta rede como um bem público global, uma rede de fabricantes e inovadores que assumiram o princípio da ação coletiva e da solidariedade para proteger a saúde mundial. As vacinas que vocês produzem protegem e promovem a saúde de milhões de pessoas nesta região (Américas) e no mundo”, afirmou.

O número de países que dependem da exportação de matérias-primas atingiu seu nível mais alto em 20 anos, segundo novo relatório da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) publicado nesta quarta-feira (15).






A água do seu banho demorado ou da lavagem da calçada com a mangueira é uma gota perto da quantidade utilizada em tarefas menos domésticas e muito mais grandiosas. Em tempos de escassez de recursos hídricos nos grandes centros urbanos, o debate sobre diminuir o consumo de água fazendo economia no chuveiro tira o foco de um

Jessé de Souza na Fiocruz

segunda-feira, 19, fevereiro , 2018 por

No dia 22 de fevereiro, às 13h30, será realizada na ENSP a aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em Atenção Primária à Saúde com ênfase na Estratégia de Saúde da Família. Ele está em sua terceira edição, e neste ano o tema central será O Brasil tem jeito? Sociedade e saúde em tempos de crise. Para debater e questionar o papel de cada um como cidadão, e, mais do que isso, como aluno, pesquisador e profissional que produz ciência e saúde, a coordenação do mestrado organizou este debate, que traz como convidado o sociólogo Jessé Souza. A aula também terá como debatedor o ex-diretor da ENSP e coordenador do Centro de Estudo Estratégicos da Fiocruz (CEE), Antônio Ivo de Carvalho. O evento é aberto a todos, não sendo necessário inscrição prévia.






Erradicar a fome até 2030?

segunda-feira, 23, outubro , 2017 por

O número total de pessoas que sofrem com a fome na América Latina e no Caribe aumentou, revertendo décadas de progresso. Enquanto isso, o sobrepeso afeta homens e mulheres de todas as faixas etárias e constitui um grande problema de saúde em todos os países da região das Américas. Essas estatísticas fazem parte do documento Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e no Caribe 2017, publicado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).






ONU alerta para aumento da fome no mundo

segunda-feira, 16, outubro , 2017 por

A fome aumentou no mundo em 2016: cerca de 815 milhões de pessoas foram submetidas a esse flagelo no ano passado, contra 777 milhões em 2015. A porcentagem de pessoas cronicamente subnutridas no planeta também aumentou: 11% da população mundial sofreu de fome em 2016, o mesmo nível de cinco anos atrás (2012). Isso significa que, no ano passado, uma em nove pessoas no mundo dormia com fome todos os dias. Esses são os números do relatório de 2017 sobre o “Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Mundo” (SOFI, no acrônimo em inglês), que acaba de ser publicado. O SOFI 2017 é resultado da nova parceria entre a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), que inclui também o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).






Eliminar a cólera até 2030

segunda-feira, 09, outubro , 2017 por

Uma nova e ambiciosa estratégia para reduzir em 90% o número de mortes por cólera até 2030 será lançada nesta quarta-feira (4) pela Global Task Force on Cholera Control (GTFCC), uma rede diversificada de mais de 50 agências internacionais, instituições acadêmicas e ONGs que apoiam países afetado pela doença. A cólera mata cerca de 95 mil pessoas e afeta outras 2,9 milhões a cada ano. É necessária uma ação urgente para proteger as comunidades, prevenir a transmissão e controlar os surtos. O novo plano da GTFCC, Ending Cholera: A Global Roadmap to 2030, reconhece que a doença se espalha em zonas endêmicas, onde ocorrem surtos previsíveis ano após ano.






Mais custos com medicamentos

segunda-feira, 02, outubro , 2017 por

Pesquisadores da Escola Nacional Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) lançam, nesta quinta-feira (28/9), um estudo que simula os gastos do Sistema Único de Saúde (SUS) com os medicamentos usados no tratamento de HIV/Aids e de hepatite C, caso as propostas da União Europeia (UE) para o capítulo de propriedade intelectual do Tratado de Livre Comércio (TLC) sejam aceitas pelos países do Mercosul. O estudo conclui que o governo brasileiro desembolsará um valor adicional de até R$ 1,9 bilhão por ano só com a compra desses medicamentos – uma média de R$ 1,8 bilhão para hepatite C e R$ 142 milhões em antirretrovirais (ARV). A pesquisa foi realizada a partir da análise das compras de 22 ARVs pelo SUS em 2015 e dos três medicamentos para hepatite C adquiridos em 2016. Os valores encontrados no estudo correspondem aos custos anuais do tratamento de aproximadamente 60 mil pessoas com hepatite, com medicamentos de última geração, e mais de 57 mil pacientes com HIV.






Fiocruz e MST avaliam projetos para o futuro

segunda-feira, 25, setembro , 2017 por

“Estamos muito honrados de poder construir essa parceria com vocês e queremos cumprimentá-los por essa ousadia histórica de construir uma parceria com setores do movimento popular para a formação de educadores”, comenta Stedile. A presidente da Fundação considera que a parceria com o MST fez avanços importantes e reafirmou o compromisso da instituição com movimentos populares. “Nos últimos anos, vimos grandes mudanças no cenário nacional com o ingresso de jovens militantes na academia, o que representa um passo importante para a construção coletiva de um projeto de país. Como instituição, temos buscado ampliar cada vez mais nossa articulação com movimentos populares para aprofundar nosso diálogo com a sociedade”, explica Nísia Trindade Lima.






A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, assinou na última quinta-feira (31/8), em Brasília, um acordo de cooperação para o compartilhamento de recursos humanos e conhecimentos em Tecnologia da Informação (TI) com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Pelo acordo, as duas instituições se associam para fomentar, coordenar e executar projetos de pesquisa em Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde.






Página 1 de 13
TOP