Saúde e Ambiente - Saúde Amanhã - Page 2

Estão disponíveis em acesso aberto seis Textos para Discussão (TD) da iniciativa Brasil Saúde Amanhã. Os trabalhos, elaborados por quatorze pesquisadores brasileiros e estrangeiros aprofundam e desenvolvem as discussões e resultados apresentados no seminário “Alimentação e Nutrição: Perspectivas na Segurança e Soberania Alimentar”, realizado em novembro de 2021 como parte da série “O Brasil depois da pandemia”. Até o momento, 85 Textos para Discussão já foram publicados em acesso aberto no portal Saúde. Conheça a coleção completa.

“O direito à vida é o que melhor ilustra o desafio do envelhecimento: viver a vida, a vida com saúde”. A afirmação é da socióloga Dalia Romero, pesquisadora em Saúde Pública do Laboratório de Informação em Saúde do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz). Nesta entrevista, ela explora o tema do próximo seminário da iniciativa Brasil Saúde Amanhã, em abril, e do novo livro organizado pelo projeto, a ser lançado este ano: longevidade e políticas de saúde. Dalia apresenta um novo paradigma de envelhecimento saudável e aponta o Sistema Único de Saúde (SUS), a Atenção Primária à Saúde (APS) e a Estratégia Saúde da Família (ESF) como eixos centrais para o cuidado à saúde dos idosos. “Não é possível garantir envelhecimento saudável sem estado de bem-estar, sem políticas de proteção social, sem um sistema de saúde universal, público, gratuito e de qualidade. O fortalecimento do SUS e da Atenção Básica é o caminho para o futuro que desejamos”, defende.

O primeiro livro publicado pela iniciativa Brasil Saúde Amanhã – “A Saúde no Brasil em 2030: Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro” – alcançou mais de meio milhão de downloads em 2021. Desde que está disponível em acesso aberto na plataforma Scielo Livros, em 2014, a obra foi baixada 554.230 vezes, sendo 47.247 no ano passado.

Pandemia da desigualdades

terça-feira, 15, fevereiro , 2022 por

“O Brasil precisa escolher quais serão os legados da pandemia de Covid-19 para o país”. A recomendação é do epidemiologista Rômulo Paes de Sousa, pesquisador da Fiocruz Minas e vice-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que nesta entrevista comenta o relatório “A desigualdade mata”, publicado pela Oxfam em janeiro. Autor do “Brevíssimo inventário dos fracassos no enfrentamento da Covid-19 no Brasil”, publicado na Revista Brasileira de Estudos de População no ano passado, Paes de Sousa discute o desempenho nacional no enfrentamento da emergência sanitária provocada pelo novo coronavírus. “Ao mesmo tempo em que revela a iniquidade em saúde em todo o mundo, a pandemia produz, ela própria, mais desigualdades. Então, é preciso que a pandemia de Covid-19 produza um legado à altura de seus impactos sobre as várias gerações que convivem com ela. Se o Brasil não fizer isso imediatamente, chegará atrasado para produzir uma resposta tão fundamental como esse momento histórico nos cobra”, afirma.

A emergência da variante ômicron adiou mais uma vez o tão esperado arrefecimento e controle da pandemia de Covid-19. A explosão dos contágios em todo o mundo, as persistentes e profundas iniquidades na distribuição global de vacinas, as dificuldades dos países centrais com a “epidemia dos não vacinados” e as ameaças sobre a retomada da atividade econômica elevaram novamente a temperatura da discussão internacional sobre a responsabilidade das potências globais e dos organismos multilaterais na condução da resposta à crise sanitária global. E, como pano de fundo, a deterioração do cenário geopolítico com a escalada das disputas entre, de um lado, Estados Unidos e Europa ocidental, fragilizados, e de outro China e Rússia, cada vez mais próximas.

“Pensar o futuro é ver o presente em movimento”. É com esta citação do filósofo italiano Antonio Gramsci que o idealizador da iniciativa Brasil Saúde Amanhã, o sanitarista José Carvalho de Noronha, define a missão da rede interinstitucional de pesquisa que, há uma década, projeta cenários e tendências para o Brasil e o setor Saúde.

Está disponível para download no portal Porto Livre o livro “Economia e Financiamento do Sistema de Saúde no Brasil”, lançado pela iniciativa Brasil Saúde Amanhã e a Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030 em dezembro de 2021. A obra foi organizada a partir de seminários on-line e Textos para Discussão realizados no ano passado e

Aconteceu nos dias 29 e 30 de novembro, o seminário “Alimentação e Nutrição: Perspectivas na Segurança e Soberania Alimentar”, última edição da série “O Brasil depois da pandemia”, promovida pela iniciativa Brasil Saúde Amanhã no contexto da Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030. Estiveram em pauta assuntos como as transformações na agricultura brasileira e os

O crescente uso de novas tecnologias digitais nos serviços de saúde, acelerado pela pandemia de Covid-19, pode ter impactos nos processos de trabalho e cuidado em saúde, na organização e dinâmica do próprio sistema de saúde. Esse assuntos estiveram em pauta no seminário “O Brasil depois da pandemia: telessaúde – tendências e perspectivas”, realizado no

A iniciativa Brasil Saúde Amanhã e a Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030 lançam mais um livro dedicado à prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro. Intitulada “Economia e Financiamento do Sistema de Saúde no Brasil”, a obra analisa a partir do olhar de diferentes especialistas as perspectivas da economia global e brasileira para as

Página 2 de 100
TOP