“Mapa da Motorização Individual no Brasil”

segunda-feira, 25, setembro , 2017 por

A crise econômica instalada nos últimos anos não impediu que a motorização individual continuasse crescendo no Brasil, principalmente no conjunto de suas áreas metropolitanas, onde, em 2016, o número de automóveis somou mais de 28,8 milhões e o de motos, 6,6 milhões. Na Semana da Mobilidade e do Dia Mundial sem Carro (22 de setembro), o INCT Observatório das Metrópoles lança a edição atualizada do “Mapa da Motorização Individual no Brasil” a fim de chamar atenção para a persistente primazia das políticas urbanas orientadas para o uso do automóvel, que historicamente relegam as políticas de transporte público de massa. No país como um todo, a frota de automóveis já passa de 61 milhões, quase duas vezes e meia a quantidade que o Brasil tinha em 2001.

A Região das Américas eliminou o tétano materno e neonatal (TMN), doença que era responsável pela morte de mais de 10.000 recém-nascidos por ano nas Américas. A eliminação da doença foi declarada este ano no Haiti, o que tornou possível alcançar o objetivo regional. O TMN é a sexta doença evitável por vacinação a ser eliminada das Américas, após a erradicação regional da varíola em 1971, da poliomielite em 1994, da rubéola e da síndrome da rubéola congênita em 2015 e do sarampo em 2016.






Fiocruz e MST avaliam projetos para o futuro

segunda-feira, 25, setembro , 2017 por

“Estamos muito honrados de poder construir essa parceria com vocês e queremos cumprimentá-los por essa ousadia histórica de construir uma parceria com setores do movimento popular para a formação de educadores”, comenta Stedile. A presidente da Fundação considera que a parceria com o MST fez avanços importantes e reafirmou o compromisso da instituição com movimentos populares. “Nos últimos anos, vimos grandes mudanças no cenário nacional com o ingresso de jovens militantes na academia, o que representa um passo importante para a construção coletiva de um projeto de país. Como instituição, temos buscado ampliar cada vez mais nossa articulação com movimentos populares para aprofundar nosso diálogo com a sociedade”, explica Nísia Trindade Lima.






Agenda 2030 e o olhar estratégico para o futuro

segunda-feira, 18, setembro , 2017 por

O Brasil caminha a passos lentos para o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o conjunto de metas assumidas em 2015 pelos 193 países signatários das Nações Unidas, cujo objetivo é integrar o desenvolvimento econômico, o social e a sustentabilidade, em âmbito global, nacional e local. Ainda assim, o compromisso representa oportunidade ímpar para discutir – e defender – a universalidade e a equidade de políticas sociais, dentre elas, o Sistema Único de Saúde (SUS). Essas são algumas das conclusões do seminário “Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pela rede Brasil Saúde Amanhã nos dias 11 e 12 de setembro, no Salão de Leitura da Biblioteca de Manguinhos, na Fiocruz. O evento reuniu pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de diversas unidades e áreas estratégicas da Fiocruz, dentre eles três ex-presidentes da Fundação, em torno de quatro painéis temáticos: Desenvolvimento e Sustentabilidade; Saúde, Ambiente e Sustentabilidade; Desenvolvimento, Saúde e Proteção Social; e Perspectivas e Desafios da Agenda 2030.






A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, assinou na última quinta-feira (31/8), em Brasília, um acordo de cooperação para o compartilhamento de recursos humanos e conhecimentos em Tecnologia da Informação (TI) com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Pelo acordo, as duas instituições se associam para fomentar, coordenar e executar projetos de pesquisa em Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde.






A produção de soja, carne e óleo de palmeira é atualmente o principal condutor do desmatamento tropical. Em vista disso, algumas das maiores organizações de conservação, desenvolvimento e finanças do mundo, assim como países produtores, lançaram nesta quarta-feira (6) uma parceria inovadora em Nova York. Com o principal financiamento proveniente do Fundo Global para o Meio Ambiente (‘Global Environment Facility’, GEF) e com o ‘Green Commodities Programme’ do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) à frente, a tão aguardada “Parceria para o Bom Desenvolvimento” sairá do papel graças à colaboração com a Conservation International, a Corporação Financeira Internacional, a ONU Meio Ambiente, o World Wildlife Fund e os governos de Brasil, Indonésia, Libéria e Paraguai.






Editorias

A crise por trás da nova PNAB

quinta-feira, 14, setembro , 2017 por

O barulho não foi pouco. Mas, apesar dele, a nova Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) foi aprovada no dia 31 de agosto, data que, coincidentemente, marcou um ano do impeachment de Dilma Rousseff. Com pouco mais de 15 minutos de duração, o rito de pactuação na Comissão Intergestores Tripartite (CIT) não teve muito debate. Por lá, o consenso em torno das mudanças já tinha se formado há algum tempo. O bode estava fora da ampla sala em formato circular, cenário das reuniões mensais entre Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A massa crítica contra a nova PNAB se formou longe dali, e rapidamente. Em pouco mais de um mês, foi capaz de chamar atenção de todos os grandes veículos da mídia nacional para os riscos de dissolução da face mais conhecida e bem avaliada do Sistema Único de Saúde: a Estratégia de Saúde da Família (ESF).






Duelo de gigantes

quinta-feira, 14, setembro , 2017 por

O futuro do tratamento do câncer já chegou, e um duelo de gigantes vem sendo travado na indústria farmacêutica. A imprensa acaba de noticiar que a agência reguladora nos Estados Unidos [FDA] está aprovando a introdução da terapia genética contra o câncer, a técnica CAR-T, alterando e reprogramando células T do organismo humano para que reconheçam e ataquem células cancerosas, no mais avançado tento da medicina individualizada. Duas gigantes da indústria farmacêutica disputam essa primazia.






Editorias

O papel do setor Saúde no desenvolvimento do país e os desafios colocados para o Brasil pela Agenda 2030 das Nações Unidas estão em pauta na Fiocruz, dias 11 e 12 de setembro, durante o seminário “Saúde Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pela rede Brasil Saúde Amanhã. Nesta entrevista, o economista Carlos Gadelha, coordenador das Ações de Prospecção da Fiocruz, analisa o contexto global e nacional e afirma: “O Sistema Único de Saúde (SUS) e o Complexo Econômico e Industrial da Saúde (CEIS) são as pré-condições – ou as únicas oportunidades – para que o Brasil atinja os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030. Eles não são problemas para o país. São parte indispensável da solução. Sem o SUS, não há desenvolvimento sustentável”. Nesta segunda-feira, o pesquisador do Grupo de Inovação em Saúde da Fiocruz participa do primeiro painel de debates, “Desenvolvimento e Sustentabilidade”. Acompanhe o seminário “Saúde Ambiente e Desenvolvimento Sustentável” em Saúde Amanhã.






Ceará na rota da inovação

segunda-feira, 04, setembro , 2017 por

Por meio da assinatura de um Memorando de Entendimento, o Governo do Ceará e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmaram, nesta quarta-feira (30/8), parceria para o desenvolvimento de ações integradas em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação na área da Saúde. A solenidade foi realizada durante visita ao Polo Industrial e Tecnológico da Saúde, localizado no município de Eusébio, em Fortaleza (CE). O Instituto Pasteur também integrou o ato e o Governo do Ceará articula acordos futuros com a entidade francesa.






Editorias
Página 3 de 66
TOP