Prospecção Estratégica - Saúde Amanhã

A financeirização do setor saúde no Brasil será tema de debate realizado dia 10 de outubro pelo seminário “Diálogos Saúde Amanhã”, promovido pela Iniciativa Brasil Saúde Amanhã, vinculada à Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030, que tem por missão desenvolver estudos prospectivos sobre o sistema de saúde brasileiro.

A Iniciativa Brasil Saúde Amanhã, vinculada à Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030, convida para o lançamento do livro “Metrópole e Pandemia: presente e futuro” no dia 6 de outubro, às 18h, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio de Janeiro. A obra é organizada por Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, José Carvalho de Noronha, coordenador adjunto da Iniciativa Brasil Saúde Amanhã, Juciano Rodrigues e Ricardo Dantas de Oliveira, pesquisador do Icict Fiocruz e da Iniciativa Brasil Saúde Amanhã.

A Iniciativa Brasil Saúde Amanhã, da Fundação Oswaldo Cruz, vinculada à Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030, que tem por missão desenvolver estudos prospectivos sobre o sistema de saúde brasileiro, dá continuidade no dia 19 de setembro aos seminários “Diálogos Saúde Amanhã”, com o debate “Estado, Mercado e Saúde: Equidade e Justiça Redistributiva”.

A pandemia de Covid-19 tornou mais cristalinos do que nunca, especialmente nos países do Sul Global, os efeitos deletérios de décadas de privatização e de mercantilização na capacidade de resposta dos sistemas de saúde, na produção e reprodução de iniquidades e na exclusão do acesso a serviços de saúde. Se no passado diversas reformas neoliberais indicavam que a ampliação do papel do setor privado nos sistemas públicos de saúde era o caminho para maior eficiência, redução de custos e liberdade de escolha, hoje estas premissas são cada vez mais questionáveis. Mas isso não quer dizer que haja uma contramarcha em curso, ou que propostas alternativas tenham emergido com força suficiente para contrapor estes processos.

O segundo suplemento do volume 38 do Cadernos de Saúde Pública, publicação da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca/ Fiocruz, aborda um dos temas mais urgentes da pauta sobre saúde coletiva – a financeirização do setor saúde no Brasil. A pesquisa coordenada pelos sanitaristas Ligia Bahia, do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ, e Mário Scheffer, da Faculdade de Medicina da USP, traz dados do período entre 2008 e 2016.

A Iniciativa Saúde Amanhã iniciará, em setembro, a série de seminários Diálogos Saúde Amanhã, que articula pesquisadores de diferentes instituições para pensar sobre as principais questões da saúde pública no Brasil, buscando desenhar cenários futuros, tendo como referência um horizonte móvel de 20 anos. A série de debates levará em conta as possibilidades, as dificuldades e as necessidades do setor no esforço de contribuir para o planejamento estratégico da Saúde.

Estão disponíveis em acesso aberto seis Textos para Discussão (TD) da iniciativa Brasil Saúde Amanhã. Os trabalhos, elaborados por quatorze pesquisadores brasileiros e estrangeiros aprofundam e desenvolvem as discussões e resultados apresentados no seminário “Alimentação e Nutrição: Perspectivas na Segurança e Soberania Alimentar”, realizado em novembro de 2021 como parte da série “O Brasil depois da pandemia”. Até o momento, 85 Textos para Discussão já foram publicados em acesso aberto no portal Saúde. Conheça a coleção completa.

O primeiro livro publicado pela iniciativa Brasil Saúde Amanhã – “A Saúde no Brasil em 2030: Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro” – alcançou mais de meio milhão de downloads em 2021. Desde que está disponível em acesso aberto na plataforma Scielo Livros, em 2014, a obra foi baixada 554.230 vezes, sendo 47.247 no ano passado.

A emergência da variante ômicron adiou mais uma vez o tão esperado arrefecimento e controle da pandemia de Covid-19. A explosão dos contágios em todo o mundo, as persistentes e profundas iniquidades na distribuição global de vacinas, as dificuldades dos países centrais com a “epidemia dos não vacinados” e as ameaças sobre a retomada da atividade econômica elevaram novamente a temperatura da discussão internacional sobre a responsabilidade das potências globais e dos organismos multilaterais na condução da resposta à crise sanitária global. E, como pano de fundo, a deterioração do cenário geopolítico com a escalada das disputas entre, de um lado, Estados Unidos e Europa ocidental, fragilizados, e de outro China e Rússia, cada vez mais próximas.

“Pensar o futuro é ver o presente em movimento”. É com esta citação do filósofo italiano Antonio Gramsci que o idealizador da iniciativa Brasil Saúde Amanhã, o sanitarista José Carvalho de Noronha, define a missão da rede interinstitucional de pesquisa que, há uma década, projeta cenários e tendências para o Brasil e o setor Saúde.

Página 1 de 16
TOP